“O universal é o local sem paredes.” (Miguel Torga) "Escrever é um ato de liberdade." (Antônio Callado) "Embora nem todo filho da puta seja censor,todo censor é filho da puta." (Julio Saraiva)

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

DIZEI-ME, SENHORA (poema- falso de D. Dinis)

Dizei-me, Senhora
O que é isto que me devora
Se venho em boa hora
Se me quereis escutar

Penso e não sei que pensar
Das mil cousas que sinto
& a mim próprio minto
Tal é o meu pesar
Que, por deus, Senhora
Se me quereis escutar
Se venho em boa hora
Se aqui me estou agora
É tudo por amar.

_________________
Mário Osorio,
Lisboa, Portugal
_________________

Um comentário:

  1. Duma pureza, mario, dantes sempre navegada. simplesmente genial.

    j.

    ResponderExcluir

Compartilhe o Currupião