“O universal é o local sem paredes.” (Miguel Torga) "Escrever é um ato de liberdade." (Antônio Callado) "Embora nem todo filho da puta seja censor,todo censor é filho da puta." (Julio Saraiva)

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Ciclo do doente

Tenho um fungo no meu peito
Causa espanto a quem se aproxima
Pois viro amor para dentro

E dentro, quero estancar hemorragia
Que me há-de consumir
Até deitar amor para fora

Mas fora, tentarei vazar olhos
Com imagens de gestos lascivos
Nesse quadro policromático do desejo

Desejo quando vem, também pode ir
E se vai, nasce um fungo no meu peito

___________________________

Cristóvão Siano, Portugal
___________________________

Um comentário:

  1. Siano, meu amigo,
    sua alta poesia só enriquece este espaço.

    j.

    ResponderExcluir

Compartilhe o Currupião