“O universal é o local sem paredes.” (Miguel Torga) "Escrever é um ato de liberdade." (Antônio Callado) "Embora nem todo filho da puta seja censor,todo censor é filho da puta." (Julio Saraiva)

segunda-feira, 4 de junho de 2012

CIRANDA

ainda ontem me vi perdido na praça
a olhar as crianças os cães as pombas
os elefantes e os meus dias antigos
ainda ontem me vi perdido na praça
desesperado a me procurar
a me procurar a me procurar
entre as crianças os cães as pombas
os elefantes e os meus dias antigos
ainda ontem me vi perdido na praça
mas consegui achar o meu rosto
no rosto de uma mulher que gesticulava
falava sozinha e não parava de cuspir
depois encontrei os meus passos
nos passos lentos de um homem
que também caminhava na praça
de cabeça baixa como se estivesse a procurar
um documento um pente uma moeda
uma ponta de cigarro uma lua
um retrato de maria antonieta
um bilhete de loteria
uma página arrancada de um livro de flaubert
a haste de um girassol
ou qualquer outra coisa entre as coisas
perdidas na praça
qualquer outra coisa qualquer
que para as crianças os cães as pombas os elefantes
não tem a menor importância

os meus dias antigos


04-06-12

___________________
Júlio Saraiva,
São Paulo, Brasil
____________________




























2 comentários:

  1. Olá Júlio,
    Não quero comentar seus poemas nem juntar outras palavras.
    O que a sua poesia desperta em mim, deixo-o ficar aqui, aninhado no meu silêncio.
    Por isso, gosto de transvasar seus versos na minha língua…
    diria que seus poemas são um pouco de mim também.

    Tenha um bom dia.
    Abraço,
    Manu


    Girotondo

    solo ieri mi vidi perso nella piazza
    a guardare i bambini i cani i colombi
    gli elefanti e i miei giorni andati
    solo ieri mi vidi perso nella piazza
    disperato a cercarmi
    a cercarmi a cercarmi
    fra i bambini i cani i colombi
    gli elefanti e i miei giorni andati
    solo ieri mi vidi perso nella piazza
    ma riuscii a trovare il mio volto
    nel volto di una donna che gesticolava
    parlava da sola e non smetteva di sputare
    poi ritrovai i miei passi
    nei passi lenti di un uomo
    che pure camminava nella piazza
    a testa bassa come se stesse cercando
    un documento un pettine una moneta
    la cicca di una sigaretta una luna
    un ritratto di maria antonietta
    un biglietto di lotteria
    una pagina strappata di un libro di flaubert
    il gambo di un girasole
    o qualunque altra cosa tra le cose
    perdute nella piazza
    qualunque altra cosa qualunque
    che per i bambini i cani i colombi gli elefanti
    non ha la minima importanza

    i miei giorni andati

    (tradução de Manuela Colombo)

    ResponderExcluir
  2. Belo o seu trabalho! Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir

Compartilhe o Currupião