“O universal é o local sem paredes.” (Miguel Torga) "Escrever é um ato de liberdade." (Antônio Callado) "Embora nem todo filho da puta seja censor,todo censor é filho da puta." (Julio Saraiva)

sábado, 26 de março de 2011

MODINHA OU NO CAMINHO DE DRUMMOND

Para Lucinha e Geraldo

eu queimei o tempo
como quem brinca de roda
como quem atira pedras
no telhado do vizinho
eu queimei o tempo

eu me afoguei na lua
astronauta sem vocação
fui procurar são jorge
só encontrei o dragão
eu me afoguei na lua

eu dancei com a dama de paus
num baile de debutantes
mas antes do fim do baile
a dama desencantou
eu dancei com a dama de paus

eu fui poeta aos vinte anos
quando todo mundo é poeta
pensava um sorriso de moça
e a poesia me vinha no ar
eu fui poeta aos vinte anos

eu queimei o tempo
eu me afoguei na lua
eu dancei com a dama de paus
eu fui e fiz tanta coisa meu deus
que hoje me dá pena lembrar

____________________
Júlio Saraiva,
São Paulo, Brasil
____________________

2 comentários:

  1. E karla Maria ama esse poema.Ju, você sempre inunda a minha alma.

    ResponderExcluir
  2. Que presente lindo!
    O casal agradece comovido.

    ResponderExcluir

Compartilhe o Currupião